Cerca de 700 militantes do MTST – Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto ocuparam um terreno em Embu das Artes, na região metropolitana de São Paulo... Embu das Artes volta a ter ocupação do MTST
Reprodução

Acampamento montado em Embu das Artes  – Foto: Gabriel Binho

Cerca de 700 militantes do MTST – Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto ocuparam um terreno em Embu das Artes, na região metropolitana de São Paulo ainda na tarde de sábado (5). O local, situado na Rua David Blinder, atrás do cemitério da Paz, no Jd. Marciano (Independência), é uma propriedade de espólio, de acordo com o movimento, e “há anos não cumpre sua função social”- argumentam.

De acordo com o movimento, a ocupação intensifica a luta pelo direito de moradia na região metropolitana de São Paulo, cujo déficit habitacional supera 230 mil casas, e acontece em um momento em que os movimentos sociais têm sofrido diretamente com processo de criminalização e repressão policial.

O líder do movimento de Trabalhadores Sem Teto, Guilherme Boulos, chegou a gravar um vídeo exibido pelo canal Mídia Ninja, direto do novo acampamento montado em Embu das Artes falando sobre as novas ocupação e respondendo a um comentário do novo prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB) que teria afirmado que em seu governo as ocupações não seriam aceitas. “Ninguém vai pedir licença para ninguém para fazer ocupação”, disse Boulos.

Segundo o movimento MTST informou em nota: “As ocupações são resultado da falta de alternativa de moradia, especialmente para famílias que pagam aluguel, por conta do aumento do desemprego e da paralisação do programa Minha Casa Minha Vida. Paralisar programas habitacionais e não dialogar com os movimentos só agravará a crise urbana e os conflitos sociais”, afirma.

 

Assista o vídeo da entrevista de Boulos:

 

  • Leitor

    11 de novembro de 2016 #1 Author

    Não entendi o porque ele manda uma resposta para o prefeito de São Paulo, sendo que esse terreno faz parte do Embu das Artes, que é outro município. Ele devia cobrar providências da prefeitura do Embu.

    Responder

  • Trinidad

    8 de novembro de 2016 #2 Author

    Sinceramente, na minha opinião é uma massa de gente sendo manipulada por uma corja de gente sem escrúpulos que não respeita o patrimônio alheio! Vão desmatar a área, sujar de tudo que é modo, promover a baderna aos arredores e depois vão ser retirados, pq o afinal de contas o terreno não lhes pertencia!

    Responder

    • Francisco

      11 de novembro de 2016 #3 Author

      E sou moro aqui perto do terreno sujo ele já está e desmatado tbm só tem capim e muitos de parado com tanta gente precisando

      Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Necessário*