Quem acordou cedo nesta terça-feira, dia 31/01, e resolveu abrir a torneira com água diretamente da rua tomou um susto ao ver um líquido... Sabesp distribui água com aparência suja e cheiro forte em Embu

Leitor do Linhas Populares denunciou “água suja” da Sabesp ao abrir torneira – reprodução

Quem acordou cedo nesta terça-feira, dia 31/01, e resolveu abrir a torneira com água diretamente da rua tomou um susto ao ver um líquido totalmente escuro, com aspecto e cheiro de podridão.

A água, fornecida pela Empresa de abastecimento do Estado, Sabesp, estava suja, com característica de não ter sido tratada. Ainda pela manhã um leitor do Linhas Populares, morador do bairro Jd. Magali, em Embu das Artes, que pediu para não ser identificado, indignado com a situação tirou uma foto demonstrando como estava o aspecto e a cor da água que saiu de sua torneira.

Atualmente, o sistema de abastecimento da cidade de Embu das Artes é a divisão do Alto Cotia com a represa Guarapiranga.

Nas últimas semanas, a companhia de abastecimento vem injetando o conhecido “cloro” na rede de abastecimento, o que torna a água com aspecto esbranquiçado e pastoso. De acordo com a Sabesp, essa “característica” ocorre devido a pressão da água sobre o encanamento.

Em um relatório, emitido pela Sabesp no dia 7/10/2015, a empresa alega que a qualidade da água “fornecida aos seus clientes mantém os altos padrões exigidos pela Portaria 2.914/2011 do Ministério da Saúde”. Diferentemente do que se viu na manha desta terça-feira, em diversas casas do município de Embu das Artes, a água distribuída não pode ser considerada “limpa e de boa qualidade”.

Em resposta ao Linhas, a Sabesp visitou algumas casas do bairro Jd. Magali e confirmou o imbróglio com a coloração da água e o aspecto sujo. Segundo apurou nossa reportagem, o técnico da empresa chegou a recomendar a alguns moradores a limpeza de suas caixas.

Por email, ao responder nossas perguntas sobre o aspecto sujo da água constatado por nossa reportagem, a Sabesp se esquivou e apenas citou a questão do aspecto esbranquiçado da água.

 

Veja a Nota:

 

Nota da Sabesp

A Sabesp informa que vistoriou hoje (31) imóveis na ruas Campina e Sebastião Aniceto de Jesus, onde moradores alegaram que a água estava turva e com aspecto leitoso. Os clientes foram informados que, eventualmente, a água da Sabesp pode apresentar coloração esbranquiçada, um fenômeno natural decorrente de manobras operacionais na rede de abastecimento, causando o aparecimento de microbolhas no instante da abertura da torneira. Essa característica não representa nenhum risco à qualidade da água, nem à saúde da população.
 
A coloração se altera temporariamente por conta dessas microbolhas e após alguns segundos a água volta a ficar totalmente límpida. A Sabesp tem laboratórios de controle sanitário para monitorar constantemente a qualidade da água que fornece à população. Nesses laboratórios especializados são realizadas, em média, mais de 62 mil análises mensais. As avaliações incluem parâmetros básicos de controle, como turbidez, cor, cloro, coliformes e termolerantes. Todos os resultados são encaminhados para as Vigilâncias Sanitárias locais, conforme determina a lei.

 

*Por Redação

Nenhum comentario.

Seja o primeiro a comentar.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Necessário*