A recente notícia de que os moradores de Embu das Artes também passarão a pagar a famigerada Taxa de Coleta e Remoção do Lixo... Taboão da Serra cobra taxa do lixo desde 97; Itapecerica e Cotia também impõem taxa

Carne da Taxa do Lixo já começa a ser distribuído em Embu das Artes; valor neste ano será de R$ 174 divididos em 5 parcelas

A recente notícia de que os moradores de Embu das Artes também passarão a pagar a famigerada Taxa de Coleta e Remoção do Lixo (TCRL), a partir do mês de agosto próximo, vem gerando uma enxurrada de críticas ao novo governo municipal.  Dentre as inúmeras alegações de moradores, que agora se utilizam do Facebook para manifestarem seu desaprovo pela cobrança da taxa, estão as de que já há muito impostos a serem pagos pelo contribuinte, onde soma-se até mesmo a elevação do preço dos combustíveis anunciado recentemente pelo Governo Federal. Muito embora, municípios vizinhos, como Taboão e Itapecerica, já pratiquem a cobrança há anos.

Com um decreto assinado neste mês de julho, recesso parlamentar, pelo atual prefeito de Embu, Ney Santos, o munícipes com residência fixa passarão a pagar R$ 34,48 por mês (mais inflação) de taxa para a coleta de lixo na cidade. Neste ano, faltando apenas 5 meses para seu final, o valor da total da taxa será de R$ 174,37. No próximo ano o valor chegará a R$ 418,48 (mais inflação) cobrados diretamente no IPTU (Imposto Predial, Territorial Urbano).

Em Taboão da Serra a Taxa do Lixo já é praticada desde 1997. No município vizinho a Embu das Artes a cobrança é fixada em R$ 114,06 mais R$0,3 (centavos) por metro quadrado do terreno e mais R$ 0,47 por metro quadrado de área construída. Resolvendo essa matemática de centavos, a conta ao munícipe taboanense pode chegar a até R$ 415,00 anuais, podendo até mesmo ultrapassar esse valor em decorrência da inflação e do tamanho do imóvel.

Em Itapecerica a taxa de coleta de lixo pode chegar a R$ 200,00/ ano. Já para os comércios o valor sais mais caro, podendo chegar a R$ 350/ano.

Em Cotia o valor cobrado de Taxa do Lixo também pode chegar a R$ 200/ano.

Para a conta da prefeitura, que alega dívida com a empresa coletora de lixo Enob de aproximadamente R$ 48 milhões (informação essa obtida pelo Linhas Populares), não saudada em administrações passadas, o calculo é feito sobre o contrato firmado ao valor de R$ 3 milhões/mês.

Segundo o comunicado da prefeitura, essa dívida acumulada foi congelada e deverá ser paga conforme a prefeitura for arrecadando com o novo tributo.

Também pelo Facebook, o prefeito municipal, Ney Santos, veio a público e afirmou ser necessário a cobrança da taxa para a crianção de um fundo de participação para organizar os pagamento da empresa coletora de lixo na cidade. “Quem passou por aqui não teve a responsabilidade e ajeitar essa situação. Eles fizeram a dívida contratando a empresa por 30 anos, mas não tiveram a responsabilidade de onde ia sair esse recurso. A nossa preocupação aqui é organizar para que a coleta de lixo não venha a entrar em greve”, disse o prefeito Ney Santos, que estava acompanhado de seu vice-prefeito, o médico Dr. Peter.

 

Lei a íntegra do Decreto que institui  a Taxa do Lixo em Embu das Artes

  • Rafael

    2 de agosto de 2017 #1 Author

    Boa tarde!

    Eu fico cada dia mais decepcionado com os seres humanos, prefeitura desculpa mais que falta de planejamento de sua gestão e administração,uma decisão assim não se toma da noite pro dia, tudo bem que a tal taxa foi aprovada em 2007, mais vcs não podem simplesmente protocolar e pronto, nem pensaram que o país vem passando por uma onda de corrupção e desemprego, vcs vem e simplesmente repassam a merda que gestores anteriores fizeram, me diz qual está sendo a diferença de sua gestão para as anteriores?

    Pensem nisso, concordo em pagar sim, mais as poucos, até chegar o denominador.

    O sro deveria era cortar esse monte de cabides de empregos e benefícios desnecessários tenho certeza que muita gente iria desistir de ser vereador e iria trabalhar na CLT.

    Responder

  • Camila

    1 de agosto de 2017 #2 Author

    Engraçado que o que ele não comenta no vídeo é que quando o contrato foi firmado ele era Presidente da Câmara municipal e poderia muito bem ter tomado providências para que não chegássemos a esse ponto, ele estava ciente e participou da aprovação dos contratos, o que sofremos hoje já é consequência da própria incompetência dele em gestões passadas

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Necessário*